Charles Baudelaire!!!


Deus é o único ser que, para reinar, nem precisa existir!


O trabalho não é o sal que conserva as almas mumificadas?


As nações não têm grandes homens senão contra a vontade delas - assim como as famílias!

Um comentário:

Anônimo disse...

Baudelaire e o amor
Charles Baudelaire
Regra sumária e geral: em amor, evita a lua e as estrelas, evita a Vênus de Milo, os lagos, as guitarras, as escadas feitas de corda e todos os romances, até o mais belo do mundo e ainda que fosse escrito pelo próprio Apolo! Mas ama bastante, vigorosamente, bravamente, orientalmente, ferozmente aquela que você ama. Que seu amor, incluindo a harmonia, não atormente o amor de um outro. Que sua escolha não perturbe o Estado. Entre os incas, amava-se a própria irmã: contente-se com sua prima. Não escale nunca os balcões, não insulte nunca a força pública. Não prive sua amante da doçura de crer nos Deuses e, quando for acompanhá-la ao templo, saiba mergulhar convenientemente seus dedos na água pura e fresca da pia de água benta.
Como toda moral testemunha a boa vontade dos legisladores, como toda religião é um consolo supremo para todos aflitos, como toda mulher é uma porção da mulher essencial, como o amor é a única coisa que vale a pena virar um soneto e ser envolvido em fino linho, eu venero todas essas coisas mais do que qualquer outra e denuncio como caluniador qualquer um que fizer deste farrapo de moral um motivo para sinais da cruz e matéria para escândalo. Moral furta-cor, não é mesmo? Vidros coloridos que dão, talvez, cor demasiada à eterna lâmpada da verdade que brilha dentro deles? Não, não. Se eu tivesse querido provar que tudo é pelo melhor no melhor dos mundos possíveis, o leitor teria o direito de me dizer, como ao símio de gênio: tu és mau! Mas eu quis provar que tudo é pelo melhor também no pior dos mundos possíveis. Muito me será, pois, perdoado, porque muito amei… meu leitor… ou minha leitora.
[Em “Seleta de máximas consoladoras sobre o amor”. Trad.: Tomaz Tadeu].